Histórico - Década de 1970 Histórico - Década de 1970

A história do Banco se confunde com a história da transformação do Nordeste.

A escassez de fontes estáveis, que até então predominavam na sua estrutura de recursos, leva o Banco à adoção de nova estratégia, voltada para a captação de repasses, internos e externos, e diversificação de suas atividades creditícias. Expansão da rede de agências, modernização das instalações e consolidação do sistema de planejamento foram outros destaques desse período.

1971

O Banco do Nordeste cria, em caráter pioneiro na Região, o Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNDECI), para apoio a projetos de pesquisas econômicas e agronômicas em busca de alternativas tecnológicas para o Nordeste, notadamente no setor agrícola e no semi-árido. Nesse mesmo ano, é criado o Sistema Regional de Promoção de Exportações e o incentivo ao turismo no Nordeste ganha a sua primeira campanha publicitária promovida pelo Banco. 

1973

É criado o Fundo de Desenvolvimento Urbano do Nordeste (FUNDURBANO), administrado pelo Banco do Nordeste e contando com recursos de diversas fontes, que possibilitou o apoio financeiro a obras de melhoria da infra-estrutura urbana nos grandes centros da Região, especialmente no sistema viário.

1974

É implantado o Fundo de Investimento do Nordeste – FINOR, capítulo especial na experiência do Banco do Nordeste como agente financeiro dos recursos federais para a Região. Com o objetivo de transformar o setor secundário em pólo dinamizador da economia regional e de atrair investimentos e capacidade empresarial para o Nordeste, o FINOR abre espaço no mercado de capitais para as empresas nordestinas.

1975

Em meados de 1975, o Banco abriu nova frente de ação, com a criação do Departamento de Operações Internacionais, que constituiu o primeiro passo para a participação do Banco no mercado de câmbio, ampliando as possibilidades de captação de recursos externos.

1976

Iniciaram-se os financiamentos no âmbito do POLONORDESTE (Programa de Desenvolvimento de Áreas Integradas do Nordeste) e, no ano seguinte, começam a ser operacionalizados o Programa Especial de Apoio ao Desenvolvimento da Região Semi-Árida do Nordeste (Projeto Sertanejo) e o Programa Nacional do Álcool (PROÁLCOOL).