Estudos e Pesquisas Estudos e Pesquisas

Além de elaborar, promover e difundir conhecimentos técnicos, científicos e estratégias, o Banco do Nordeste, através do seu Escritório Técnico de Estudos do Nordeste planeja, formula, coordena e avalia políticas e programas. O objetivo é subsidiar a ação do Banco e da sociedade na busca do desenvolvimento sustentável do Nordeste, Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Informações Informações

Voltar

Exportações do Nordeste crescem 32,7% nos nove primeiros meses do ano

Fortaleza, 13 de outubro de 2017 - As exportações nordestinas cresceram 32,7% nos nove primeiros meses de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado. No intervalo, as vendas superaram o valor de US$ 12,4 bilhões, o que representa 7,6% do total das vendas externas brasileiras. O destaque é a comercialização dos produtos básicos, que aumentaram 44,1%, impulsionados pela soja. O estado de Alagoas foi o que teve maior crescimento no período, com expansão de 128,9%, seguido por Piauí (113%) e Ceará (77,2%). 

Os produtos semimanufaturados do Nordeste cresceram 28,8% de janeiro a setembro deste ano. Lideram o segmento as vendas de pasta química de madeira, produzida por Bahia e Maranhão, a produção de ferro e aço, feita pelo Ceará, e a exportação de açúcar de cana, de Alagoas. Os manufaturados, que possuem maior valor agregado, apresentaram aumento de 29,9%, no período observado. A China continua sendo o país que mais importa a produção da Região, com 21% do total, seguida pelos Estados Unidos (14,8%) e Argentina (11,7%). 

No Ceará, a variação das exportações ficou em 77,2%. Os produtos semimanufaturados de ferro e aço, castanha de caju, bem como calçados, puxaram a balança do estado. 

As informações são do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisas do Banco do Nordeste, com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O Diário Econômico com informações detalhadas está disponível no seguinte link: Diário Econômico ETENE.