Centro Cultural Fortaleza - Hoje é Dia do Rock Centro Cultural Fortaleza - Hoje é Dia do Rock

Programa musical para apreciadores do movimento alternativo do rock e cultura popular.

 

HOJE É DIA DE ROCK
MAIO/2017

 

Dia 27, sáb, a partir das 17h

 

PROGRAMAÇÃO

 

17h – Capotes Pretos na Terra Marfim

18h – Berg Menezes

19h – It Girl

20h – The West Wolves

 

Capotes Pretos na Terra Marfim

Desde 2012, modificando a paisagem sonora de praças e calçadas de Fortaleza, os Capotes Pretos na Terra Marfim ficaram conhecidos pelas intervenções urbanas e pelo som folk rock que fazem e pelos instrumentos inusitados que utilizam: além de guitarra, violão, baixo e bateria, têm na formação violoncelo, metalofone, piano, trombone, trompete, flauta transversal, banjo e ukulele.

 

Berg Menezes

Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira no primeiro álbum solo, Pedra, que vai buscar nos anos 90 sua base, mas ganha contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

 

It Girl

A It Girl está na rua de novo e, desta vez, retorna com o primeiro álbum cheio. Depois de quatro EPs e mais de 100 mil plays no Spotify, a banda cearense lança Aterro, disco cheio do rock tropical que a consagrou entre o público local.

 

The West Wolves

Rock sujo, rock pesado. Mesmo sem baixo na formação, instrumento dispensado pelos West Wolves em sua nova sonoridade. Com Luís Guilherme e André Ressaca nas guitarras e vocais e Rafael Sobral na bateria, o power trio power canta a noite de Fortaleza em seu lado mais underground.

 

Curadoria: Igor Miná & Alinne Rodrigues (Mocker Música &

Comunicação)

Na edição de maio do Programa Hoje é Dia de Rock, sobem ao palco os artistas Capotes Pretos na Terra Marfim, Berg Menezes, It Girl e West Wolves. São quatro bandas surgidas nos últimos dez anos, todas com grandes festivais locais no currículo e em constante reinvenção, movimentando sua carreira a cada ano de diversas formas, seja lançando álbuns, EPs ou clipes. Esteticamente, cada uma é relevante, pois procura experimentar a recombinação de sons, como a união do folk e do rock pelos Capotes, e desafiar o senso comum, como os West Wolves, que investem em um som pesado, mas sem contrabaixo.