Pular para o conteúdo

Sala de Imprensa

 
 

Voltar

"Jazz em Cena" estreia 1° de abril no Centro Cultural Banco do Nordeste Fortaleza

Fortaleza, 27 de março de 2017 - Os amantes do jazz em Fortaleza podem comemorar. A partir do sábado, 1° de abril, a cena jazzística da cidade, que vem se ampliando com novos espaços para o talento de grandes artistas, ganha um novo projeto musical: o "Jazz em Cena", novo projeto musical permanente do Centro Cultural Banco do Nordeste (Rua Conde D´Eu, 500, Centro, ao lado da Catedral).

A proposta reúne músicos cearenses que farão tributos a nomes históricos do jazz, em shows com entrada franca, que acontecem em dois sábados a cada mês, democratizando cada vez mais o acesso à excelência de nossa cena instrumental - referência para todo o País.

“O público poderá conferir obras-primas da história do jazz, recriadas com o talento e a criatividade de nossos instrumentistas e intérpretes. Ousadia e criatividade marcam tanto a escolha do artista homenageado, quanto na seleção do repertório e dos músicos convidados para cada espetáculo”, conta Régis Cunha, gerente do Centro Cultural Banco do Nordeste Fortaleza. 

Entre os objetivos do "Jazz em Cena" estão contribuir para atender a demanda de público por mais shows de jazz em Fortaleza, apresentar a novos ouvintes a obra de grandes mestres da música, ressaltar o talento autoral de instrumentistas cearenses e também sua capacidade de recriar trabalhos musicais históricos por sua beleza e sua importância.

O novo projeto soma-se a outros que vêm sendo mantidos na capital cearense, como o Ceará Jazz Series, realizado desde 2015 no Teatro Dragão do Mar; o tradicional Festival Jazz & Blues (promovido em Guaramiranga e Fortaleza desde 2000); o Jeri Choro Jazz (desde 2009); os festivais instrumentais do Centro Cultural Banco do Nordeste e os shows promovidos em diversas casas noturnas, bares, restaurantes, teatros, centros culturais e espaços alternativos, formando uma rede crescente de opções para o público amante do jazz, com produções se ampliando ao longo de todo o ano.

 

Shows de estreia

Na estreia do "Jazz em Cena", no sábado, 1° de abril, às 19h, no Centro Cultural Banco do Nordeste, o público vai conferir o espetáculo da cantora norte-americana Priscilla Odinmah, que se une a quatro brilhantes músicos cearenses: Hermano Faltz (guitarra), Iury Batista (contrabaixo acústico), André Benedecti (bateria) e Thiago Almeida (piano) para o show "Monk´s Songs - Tributo a Thelonious Monk".

O show percorre a obra do grande Thelonious (1917-1982), pianista, compositor, arranjador e um dos mais inventivos e ousados músicos de todos os tempos, a partir do disco "Carmem Sings Monk", lançado em 1988, em que a magistral cantora Carmem McRae registra composições de Monk que ganharam letra.

O álbum, que rendeu a Carmem McRae uma indicação ao Grammy, traz clássicos como "Round midnight", "Well you needn´t", "I mean you", "Pannonica" e "Monk´s dream", em suas versões com letra, revelando também a arte de compositores como Jon Hendricks, Mike Ferro, Sally Swisher e Abbey Lincoln, responsáveis por letrar os temas belos e complexos de Monk.

Priscilla Odinmah, curiosamente, estudou na mesma "high school" frequentada por Thelonious, em Nova York. "Era uma escola bem exigente, e ele não chegou a terminar", ilustra a jovem Priscilla, rindo-se também pela coincidência de ter morado bem perto de onde Thelonious viveu, não fosse a distância de algumas décadas.

"É um privilégio poder convidar o público para conferir esse show, estreando o novo projeto dedicado ao jazz no CCBNB: o Jazz em Cena. Temos muita alegria em dividir o palco em Fortaleza com Priscilla Odinmah, que é uma grande cantora", destaca o guitarrista Hermano Faltz.

"No show teremos além do Iury e do André, que compõem comigo o Por Um Trio, o grande pianista Thiago Almeida, um músico extraordinário, que aceitou esse convite para homenagear o Thelonious Monk. Ele reinterpreta e reinventa de uma forma impressionante. Esperamos trazer muita sorte ao novo projeto. Vida longa ao Jazz em Cena", complementa Hermano.

 

Dia 22/4 tem Jazz Cigano no CCBNB

No dia 22/4, também um sábado, às 19h, o "Jazz em Cena" apresenta o show "Jazz Cigano - Tributo a Django Reinhardt", reunindo um sexteto de grandes nomes da cena musical cearense. A apresentação é uma homenagem ao violonista e compositor belga que criou uma vertente diferenciada para o jazz.

Marcos Maia (violão), Paula Tesser (voz), Paulo Leniuson (violino), Claudio Miranda (contrabaixo acústico), Lucas Araujo (violão) e Marcelo Holanda (bateria) fazem uma apresentação marcada pela excelência da performance de todos os músicos, pela qualidade e diversidade do repertório escolhido em meio à vasta obra de Django e pelo ineditismo de um show dedicado ao jazz cigano (gipsy jazz ou jazz manouche) em Fortaleza.

A primeira parte do show conta com clássicos do repertório de Django em releitura instrumental, enquanto a segunda metade é marcada pela cantora Paula Tesser brilhando na interpretação de canções de Django e de algumas composições escolhidas para serem interpretadas com a mesma abordagem musical do jazz cigano.

No repertório instrumental, "Minor swing", um dos temas mais conhecidos de Django Reinhardt, mostrando logo de saída tanto a levada característica do violão cigano, chamada "la pompe" ("a bomba"); o suingue e a alegria de "Daphné"; o lirismo de "Anouman", um das músicas mais belas do repertório do violonista belga; "Limehouse blues", de P. Braham e D. Furber, um standard do blues para várias gerações; a desafiadora "Rythm futur", tema mais experimental e de difícil execução - um dos destaques do show, recentemente aplaudido no Festival Jazz & Blues, em Guaramiranga e Fortaleza.

Entre as canções, destaques como a contemplativa "Nuages", outro dos temas mais revisitados do mestre do jazz manouche; "Que reste-t-il de nos amour", de Charles Trenet e Léo Chauliac, um clássico da chanson francesa; a melódica e irresistível "Swing 42", a suingada "Nature boy" e a marcante "Les yeux noirs", o Hino dos Ciganos.

Django Reinhardt inaugurou um capítulo na história do jazz, numa vertente europeia, apresentando ao mundo gravações de composições próprias com improvisações de uma linguagem peculiar e especial. Django não lia partituras nem tinha conhecimentos teóricos sobre música. Tocava "de ouvido", como se diz comumente, uma tradição oral que se estende a muitos de seus descendentes musicais até os dias atuais. O músico nasceu em 23 de janeiro de 1910, em Liberchies, na Bélgica, e faleceu em Fontainebleau, na França, aos 16 de maio de 1953.

 

Serviço:

Projeto "Jazz em Cena". Shows com entrada franca, nos sábados 1° e 22 de abril, às 19h, no Centro Cultural Banco do Nordeste. Dia 1°/04: show "Monk´s Songs - Tributo a Thelonious Monk". Dia 22/04: show "Jazz Cigano - Tributo a Django Reinhardt". Informações: 3464-3108 / Facebook Centro Cultural Banco do Nordeste / Facebook Jazz em Cena.


Desculpe nossa interferência, mas seu navegador não suporta a tecnologia utilizada neste portal.

Procure atualizar o seu navegador para a última versão disponível ou utilize uma das sugestões gratuitas e modernas listadas abaixo:

Chrome 18 ou +Firefox 19 ou +IE9 ou +
x