Governança, Transparência e Ética Governança, Transparência e Ética

Governança Corporativa

A estrutura organizacional do Banco do Nordeste está embasada em princípios de boa governança corporativa, que têm a finalidade de proporcionar solidez à instituição por meio de um adequado gerenciamento dos riscos, de acordo com as orientações do Comitê de Basileia e as exigências do Acordo de Basileia II.

Por isso, nos processos do Banco do Nordeste, há um constante trabalho de busca e identificação dos riscos existentes e potenciais, além da implementação e o acompanhamento de indicadores-chave e de mecanismos de mitigação dos riscos identificados.

Além dessas ações, com o objetivo de manter a transparência na gestão e compartilhamento das responsabilidades, o Banco do Nordeste possui, em sua estrutura organizacional, 14 comitês decisórios.

Conheça um pouco mais sobre as ações e estruturas do Banco do Nordeste voltadas para promover uma melhor governança, transparência e ética.

Ouvidoria

O canal de atendimento da Ouvidoria representa os interesses do cidadão, atuando imparcialmente na intermediação de possíveis conflitos e, preventivamente, trabalhando pontos que devam ser aperfeiçoados para que o atendimento e o relacionamento do Banco com o cliente e a sociedade sejam cada vez melhores.

 

Saiba mais

 

Comissão de Ética

A Comissão de Ética do Banco do Nordeste foi instituída em 2003 e, a exemplo das demais comissões de ética setoriais do Poder Executivo Federal, está subordinada à Comissão de Ética Pública (CEP).

No âmbito interno a atuação da  Comissão de Ética do Banco do Nordeste guarda independência em relação às demais esferas administrativas da instituição, contando, porém, com o apoio de secretaria executiva vinculada administrativamente ao presidente do Banco, conforme determina a legislação.

 

Saiba mais

 

Gerenciamento de Riscos

O Banco conta com uma diretoria para tratar da temática de controle e risco, atendendo às Resoluções nº 3.380, 3.464 e 3.721 do Conselho Monetário Nacional (CMN) que determinam às instituições financeiras a implementação de estrutura de gerenciamento de risco operacional, de risco de mercado e de risco de crédito.

 

Relatórios de Gestão de Risco

 

Comitê de Auditoria

O Banco conta com um Comitê de Auditoria (órgão estatutário de assessoramento ao Conselho de Administração) instituído e regulamentado por intermédio da Resolução nº 3.198/2004 do Conselho Monetário Nacional.

O Comitê possibilita melhoria da gestão dos riscos dos processos e fortalecimento do sistema de controles internos, bem como mitigação de riscos legais, operacionais e de imagem, com aprimoramento do sistema de governança corporativa.

A Auditoria Interna, no cumprimento de suas atribuições, elabora anualmente o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna e, considerando a metodologia adotada (auditoria de processos com foco em risco) avalia, dentre outros aspectos, a eficácia e efetividade dos controles realizados pela Instituição, inclusive para observância pelo Banco da legislação aplicável às suas operações.

 

Saiba mais

 

Gestão Participativa

Entre as premissas de gestão de pessoas adotadas pelo Banco do Nordeste, ressaltam-se a democracia e a participação. Na prática, a participação dos empregados é incentivada e ocorre por meio dos fóruns, colegiados e demais instâncias, bem como por meio da Ouvidoria Geral.

Além dos meios institucionais, existem comissões paritárias, formadas com a participação de empregados indicados pelas entidades representativas e pelo Banco do Nordeste.

A Política de Desenvolvimento Humano inserida em seu sistema normativo consolida-se com as negociações permanentes, que ocorrem normalmente em todos os meses.

Essas negociações são marcadas pelas discussões quanto a questões relativas ao Acordo Coletivo de Trabalho e outras questões de interesse do funcionalismo, firmando um relacionamento permanente e construtivo com as entidades representativas dos empregados do Banco.

Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção

Em outubro de 2013, o Banco do Nordeste aderiu ao Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção, iniciativa do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, UniEthos - Formação e Desenvolvimento da Gestão Socialmente Responsável, Patri Relações Governamentais e Políticas Públicas, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Escritório das Nações Unidas Contra Drogas e Crime (UNODC) e Comitê Brasileiro do Pacto Global, com o objetivo de promover políticas de integridade e combate à corrupção na instituição, em favor da ética nos negócios.

Cadastro Empresa Pro-ética

Em outubro de 2013, o Banco do Nordeste aderiu ao Cadastro Nacional de Empresas Comprometidas com a Ética e a Integridade (Pró-Ética), iniciativa da Controladoria Geral da União (CGU) e do Instituto Ethos que avalia e divulga as empresas voluntariamente engajadas na construção de um ambiente de integridade e confiança nas relações comerciais, inclusive naquelas que envolvem o setor público.

Contratação de Fornecedores

O Banco do Nordeste pauta a aquisição de bens e serviços com o estrito cumprimento da legislação e normativos vigente, com imparcialidade e transparência no trato com seu público fornecedor.

Além disso, em certames licitatórios, o Banco do Nordeste exige a apresentação de declaração do licitante, assinada por seu representante legal, de que não possui, em seu quadro de pessoal, empregado(s) menor(es) de 18 anos em trabalho noturno, perigoso ou insalubre, ou menor(es) de 16 anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de 14 anos.

Reconhecimento

Pela excelência na aplicação de seus princípios, ações de promoção da ética, de melhoria das relações de trabalho e de transparência com a sociedade, o Banco do Nordeste é reconhecido por entidades como uma empresa pró-ética, pró-equidade de gênero e raça, além de constantemente se qualificar como uma das melhores empresas para se trabalhar.
 

Saiba mais